Vitiligo: o que é, causas, sintomas e tratamento

Vitiligo: o que é, causas, sintomas e tratamento
Mulher com vitiligo: vitiligo causas, vitiligo sintomas, vitiligo tratamento I Foto: Freepik

Entenda tudo sobre a doença que o Michael Jackson teve!

Existem diversas doenças dermatológicas causadas por distintos motivos. O vitiligo é uma delas, e por mais que não se tenha a visibilidade necessária, é um assunto de extrema importância.

O que é vitiligo?

O vitiligo é uma doença de pele não transmissível em que manchas brancas aparecem na pele em diferentes partes do corpo, o que faz com que a área total afetada varie para cada um. Isso acontece porque as células (melanócitos) que formam o pigmento da pele (melanina) são destruídas. Na maioria dos casos, as áreas afetadas permanecem descoloridas pelo resto da vida da pessoa.

Quais são os tipos de vitiligo?

Não segmentar

Caso as primeiras manchas brancas sejam simétricas, isso caracteriza um tipo de vitiligo conhecido como vitiligo não segmentar. É o tipo mais comum, sendo responsável por até 90 por cento dos casos e também é caracterizado por um desenvolvimento mais lento. Pois as manchas estão espalhadas pelo corpo, e não apenas em uma área.

As manchas costumam aparecer igualmente em ambos os lados do corpo, com alguma simetria aparente, e na pele comumente exposta ao sol, como na área do rosto, pescoço e das mãos.

Segmentar

Caracterizado por não ser simétrico e se espalhar mais rapidamente. É considerado mais constante, estável e menos errático do que o tipo não segmentar. Além disso, é muito menos comum e afeta apenas cerca de 10% das pessoas com vitiligo, mais perceptível em grupos de idade.

O vitiligo segmentar geralmente afeta áreas da pele ligadas aos nervos que se originam nas raízes dorsais da coluna vertebral e responde bem aos tratamentos recomendados.

Quais são as causas do vitiligo?

Embora as causas do vitiligo não sejam completamente conhecidas e compreendidas, existem diversas teorias médicas diferentes:

  • Doença autoimune: o sistema imunológico da pessoa afetada pode desenvolver anticorpos que destroem os melanócitos, ou seja, o próprio organismo da pessoa causa a doença;
  • Fatores genéticos: certos fatores e características que podem aumentar a chance de desenvolver vitiligo podem ser herdados;
  • Autodestruição: Um defeito nos melanócitos faz com que eles se destruam.

O vitiligo também pode ser desencadeado por certos eventos, como estresse físico ou emocional. Dado que nenhuma das teorias parece explicar completamente a condição, é possível que uma combinação desses fatores seja responsável pelo vitiligo.

Quais são os sintomas do vitiligo?

O principal sintoma de alguém diagnosticado com vitiligo é o aparecimento das manchas claras ou “despigmentadas” na pele, sendo elas em áreas com pouca ou nenhuma melanina, mostrando o pigmento natural da pele.

Essas manchas podem aparecer em qualquer parte do corpo, embora possam aparecer primeiro em áreas que recebem muita exposição ao sol, como rosto, braços, pés e mãos, mas isso não impede que elas apareçam na virilha, nas axilas e ao redor do umbigo.

Outros sintomas, menos comuns, de vitiligo podem incluir:

  • Cabelo grisalho ou branco prematuramente;
  • Cílios e/ou sobrancelhas perdendo a cor e ficando brancos;
  • Perda de cor do nariz e da boca;
  • Inflamação dos ouvidos ou olhos, levando à perda de audição e problemas de visão;
  • A doença também pode afetar as membranas mucosas, como o tecido dentro da boca e do nariz, e dos olhos.

Vitiligo tem cura?

Não, infelizmente o vitiligo não é uma doença que possua cura. Por isso, para a maioria das pessoas, o objetivo do tratamento é impedir que o vitiligo continue se espalhando e devolver a cor às áreas afetadas da pele. Os tratamentos existentes podem ajudar, mas é muito raro que o vitiligo desapareça permanentemente.

Quais são os tratamentos para vitiligo?

Mas afinal, quais são os tratamentos para a doença? Atualmente, existem muitas opções de tratamento para o vitiligo. No entanto, um dermatologista é a melhor pessoa para ajudá-lo, considerando que ele lida diretamente com problemas e doenças de pele.

Infelizmente, pode demorar muito para ver os resultados. Algumas áreas do corpo, como o rosto, tendem a recuperar a sua cor rapidamente, já outras, como mãos e pés, são mais difíceis de tratar. Alguns dos tratamentos, que devem sempre ser acompanhados e consultados com um dermatologista, são:

Cremes e pomadas

Existem cremes e pomadas que atuam suprimindo o sistema imunológico da pele, e são ótimos como tratamento para vitiligo em áreas como mãos e pés. Cremes e pomadas de vitamina D regulam o sistema imunológico e aumentam a produção de pigmentos na pele.

Remédios e injeções

Os esteroides tomados, ou injetados, podem parar o vitiligo que está se espalhando rapidamente. No entanto, não é seguro permanecer com esse tratamento por longo prazo, por conta dos efeitos colaterais.

Fototerapia

Caso o vitiligo não melhore de nenhuma forma, a fototerapia é a melhor opção. Normalmente é realizada em cabines UVB e são feitas de duas a três sessões por semana durante vários meses para os resultados serem obtidos com sucesso.

Excimer

Semelhante à fototerapia tradicional, consiste em um laser que fornece uma luz por meio de uma peça manuseável e direcionável. O excimer tem algumas vantagens em relação à fototerapia, podendo ser preferível para algumas pessoas.

O paciente não precisa entrar em uma cabine fechada, o que pode fazer algumas pessoas se sentirem claustrofóbicas. Na cabine, todo o seu corpo fica exposto à luz, já com um excimer, apenas as áreas que possuem as manchas são expostas.

Além disso, por ser tão direcionado, seus níveis de tratamento podem ser mais fortes, o que significa que será possível ver os resultados mais rapidamente. As desvantagens, no entanto, estão no fato de que pode ser mais demorado se o paciente tiver muitas áreas e não funciona tão bem quanto a fototerapia para prevenir novas áreas de vitiligo.

Despigmentação

Outro tratamento para pessoas com vitiligo que já tentaram métodos mais simples e não melhora é a despigmentação, que pode ser considerado como um último recurso. Este tratamento remove o pigmento que ainda resta da pele por meio de um medicamento.

O processo pode levar anos. E é importante ressaltar que pessoas que passam pela despigmentação devem evitar completamente a exposição ao sol, caso contrário, eles podem obter pigmentação salpicada.

Michael Jackson e o vitiligo

O cantor e compositor, falecido em 2009 é um dos casos mais famosos de vitiligo. Michael é o maior exemplo de que o vitiligo não é só um problema de saúde, mas um problema que também acaba afetando o psicológico da pessoa.

Como uma pessoa negra, Michael, que sempre abordava assuntos importantes sobre inclusão e diversidade, era constantemente atacado e bombardeado com perguntas sobre porque a cor da sua pele havia mudado. Ele era indagado se havia feito procedimentos estéticos e por que teria os feito. No entanto, se tratava apenas de vitiligo, e, assim como ele, pessoas portadoras desta doença tendem a precisar de cuidados emocionais e da empatia vinda de outras pessoas.

Centro Médico CADEG: encontre um dermatologista para tratar o vitiligo

O Centro Médico CADEG, oferece um excelente programa de dermatologia, além de outras áreas médicas, e possui um Clube de Benefícios Médicos, ao adquirir o clube de benefícios, você tem de 30% a 70% de desconto em consultas e exames.

Caso se interessar e quiser conferir, acesse nosso site!

Gostou do conteúdo? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Deixe um comentário

Saiba mais sobre como cuidar de você e da sua família

Utilizamos cookies para oferecer a melhor experiência para você. Ao utilizar este site, você concorda com o uso destes cookies.