Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP): o que é, causas, sintomas e tratamento

Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP): o que é, causas, sintomas e tratamento
A síndrome dos ovários policísticos afeta cerca de 5% a 10% das mulheres no mundo.– Foto: Freepik

O que significa Síndrome dos Ovários Policísticos?

    A Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP) afeta, em estimativa, cerca de 5% a 10% das mulheres em idade reprodutiva ao redor do mundo. Isso a torna uma doença extremamente importante de ser discutida, estudada e, sobretudo, entendida. Preparamos, para você, um guia completo sobre a SOP!

Síndrome dos Ovários Policísticos, entenda

    Uma síndrome é um conjunto de sintomas observáveis em diversos processos patológicos e sem causa específica. No caso da SOP, há um conjunto de sinais que estão ligados ao aparecimento de múltiplos microcistos na periferia dos ovários.

    Esses microcistos, também chamados de folículos primordiais, são naturais ao ovário, sobretudo, no período reprodutivo. Durante o período menstrual, em torno de 10 a 15 folículos primordiais são recrutados, mas apenas um se torna dominante – o cisto ovulatório -, que, geralmente, desaparece sozinho, sem necessidade de tratamento.

    No entanto, a observação de 12 ou mais microcistos em cada ovário, medindo entre 2 e 9mm, demonstra que a SOP pode estar presente no organismo.

O que é síndrome dos ovários policísticos?

    A síndrome dos ovários policísticos é uma doença endocrinológica caracterizada pelo desequilíbrio de certos hormônios no corpo da mulher, mais especificamente, o aumento da produção de hormônios masculinos.

Quais as causas e fatores de risco da SOP?

    Não há causas específicas para que a síndrome dos ovários policísticos se desenvolva, podendo variar de pessoa para pessoa. Porém, alguns fatores podem influenciá-la:

    Genética

        A SOP pode ter causa hereditária. Logo, se um parente seu de primeiro grau tem a síndrome, você pode ter predisposição a tê-la.

    Insulina

        O excesso de insulina pode causar desequilíbrios hormonais em pessoas com SOP. Além de ser um hormônio que processa glicose (açúcar), a insulina também age como um sinal para os ovários produzirem testosterona.

        A resistência à insulina, por sua vez, aumenta a produção desse hormônio, resultando, assim, em altos níveis de testosterona. Isso pode retardar o crescimento e a liberação de óvulos no ovário, além de suprimir a produção de hormônios femininos, como o estrogênio e a progesterona.

     Pessoas com resistência à insulina tendem a sentir mais os sintomas e as complicações da SOP ao longo do tempo.

    Inflamação

        A inflamação consiste no inchaço, vermelhidão e aumento da temperatura do tecido em resposta a uma infecção ou machucado. Essa condição faz com que o corpo produza mais insulina e, assim, como já sabemos, há o aumento da testosterona no corpo.

    Ambiente

        Existem estudos que buscam entender se certos desreguladores químicos endócrinos do ambiente podem causar a SOP. Essas pesquisas englobam o estudo da exposição fetal ou infantil a substâncias, como a nicotina (presente nos cigarros).

        Além dela, há aqueles encontrados em objetos de plástico (brinquedos, copos, tubos de PVC, embalagens de alimentos, aparatos médicos – bolsas de sangue e soro), dentre eles: bisfenol A e ftalatos (produtos químicos sintéticos envolvidos na produção plástica). Tal exposição pode levar ao desenvolvimento da síndrome dos ovários policísticos ao longo da vida.

Quais outros problemas estão associados a essa síndrome?

    Por ser um desequilíbrio no organismo, a SOP está associada a outras doenças, podendo estas serem fator de risco para desenvolver a síndrome ou serem causadas por essa desarmonia. Veja exemplos:

  • Diabetes tipo 2;
  • Infertilidade;
  • Doenças cardiovasculares;
  • Gordura não alcoólica no fígado;
  • Apneia do sono;
  • Depressão.

Síndrome dos ovários policísticos sintomas

  • Menstruações irregulares (fluxo intenso ou leve,  menstruação frequente, imprevisível ou ausente);
  • Altos níveis de andrógenos (testosterona, por exemplo) no organismo;
  • Presença de pequenos cistos nos ovários;
  • Crescimento em excesso de pelo facial e corporal;
  • Quedas de cabelo;
  • Pele oleosa, levando à acne, e podem aparecer marcas escuras atrás da nuca;
  • Infertilidade, dificultando a gravidez;
  • Ganho de peso;
  • Mudanças de humor;
  • Depressão e ansiedade.

Quando procurar ajuda médica?

    Caso os sintomas apareçam desde a primeira menstruação (menarca) ou seu ciclo seja constantemente irregular – cerca de 2 a 3 anos após a menarca –, é preciso buscar auxílio médico.

E lembre-se

É importante que seus exames ginecológicos estejam sempre em dia e, a partir da primeira menstruação, que você vá pelo menos uma vez por ano ao ginecologista para fazer exames de rotina.

Como saber se tenho síndrome dos ovários policísticos?

    Dentre os sintomas já citados, alguns, quando combinados, são indicativos da doença. Por ser uma síndrome, é preciso apresentar, ao menos, dois ou três dos seguintes sintomas para que haja o diagnóstico:

  • Hiperandrogenismo clínico e/ou laboratorial, caracterizados pelo aumento dos andrógenos (testosterona, por exemplo) no sangue;
  • Irregularidade menstrual ou ausência de ovulação;
  • Aumento do volume ovariano e/ou alteração na morfologia dos ovários devido a cistos em sua periferia.

    É possível analisar o quadro e entender se a paciente apresenta a síndrome dos ovários policísticos através de exames de sangue (verificando-se hormônios andrógenos) e de imagem (ultrassonografia da região pélvica ou transvaginal, para identificar o tamanho do ovário e a presença de microcistos).

Qual profissional eu devo procurar para saber se tenho SOP?

    Por ser uma doença relacionada ao sistema reprodutor feminino e endocrinológico, duas especialidades médicas são responsáveis por diagnosticar e tratar a síndrome dos ovários policísticos: a ginecologia e a endocrinologia.

o que significa síndrome dos ovários policísticos
Quando notar algo de errado no seu ciclo menstrual, procure um ginecologista; pode ser Síndrome dos Ovários Policísticos I Fonte: Freepik

Quais os tratamentos para a SOP?

    A SOP é tratável quando diagnosticada cedo. E mudanças nos hábitos alimentares e na rotina de atividades físicas são de grande ajuda nesse tratamento. Ele é extremamente importante para evitar doenças e riscos à saúde a longo prazo.

    Quanto aos medicamentos, alguns são indicados, como anticoncepcionais orais, por serem uma opção segura e eficaz em pacientes sem maiores comorbidades metabólicas.

    Além disso, como a SOP está relacionada a vários sintomas, outros medicamentos também são indicados, como hipoglicemiantes orais (nos casos de resistência à insulina) e medicamentos para reverter o quadro de infertilidade.

    Terapias para o estresse e a ansiedade e cosméticos para controle da acne também estão inclusos no tratamento, de acordo com a necessidade da paciente.

Centro Médico CADEG

    É do Rio de Janeiro e está sentindo alguns dos sintomas citados neste artigo sobre Síndrome dos Ovários Policísticos ou já está na hora de realizar um check-up de rotina? Não perca tempo, marque sua consulta no Centro Médico CADEG! Ele é um centro médico localizado dentro do CADEG-RJ, o Mercado Municipal do Rio de Janeiro. O endereço do centro é: Rua Cap. Félix, 1010 – Sobreloja 1 – Benfica, Rio de Janeiro – RJ.

    O Centro Médico CADEG oferece consultas e exames para mais de 30 especialidades (dentre elas ginecologia, psicologia, nutricionista e clínica geral) com preços populares. Além disso, ele possui um Clube de Benefícios Médicos e, ao adquiri-lo, a pessoa tem de 20% a 70% de desconto em consultas, exames de imagem, exames laboratoriais e serviços de estética.

    Para assiná-lo, tem o passo a passo no site: assine o plano de benefícios pelo site ou telefone, preencha seus dados e assine o contrato, e, por fim, receba a sua carteirinha. Para mais informações sobre o clube de benefícios e as vantagens da plataforma, acesse, agora mesmo, o site do Centro Médico CADEG. Cuide da sua saúde!

Gostou do conteúdo? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Deixe um comentário

Saiba mais sobre como cuidar de você e da sua família

Utilizamos cookies para oferecer a melhor experiência para você. Ao utilizar este site, você concorda com o uso destes cookies.