Veja 6 doenças que causam dor de estômago mais frequentes!

6 doenças que causam dor de estômago
O profissional indicado para fazer o diagnóstico e tratamento de dor de estômago é o gastroenterologista I Foto: Freepik

Dor de estômago forte? Veja o que pode ser!

Segundo a Organização Mundial de Gastroenterologia (OMG), problemas gastrointestinais afetam cerca de 20% da população mundial. O sistema digestório é responsável pelo processamento dos alimentos ingeridos por nós através da alimentação, absorvendo os nutrientes e eliminando o que não é útil ao corpo. Isso tudo é feito com o trabalho conjunto de órgãos e glândulas presentes nesse sistema.

    Um desses órgãos é o estômago, o qual começa no fim do esôfago e termina no início do duodeno. Nele, há grande quantidade de ácido, cuja função é pré-digerir e esterilizar os alimentos para que eles sigam em direção ao intestino, onde serão absorvidos.

dor no estomago o que pode ser
Ilustração do estômago I Foto: Freepik

    Assim, o estômago é extremamente importante para a digestão e a dor na parte superior do abdômen, logo abaixo do diafragma, pode indicar a presença de problemas e doenças nele, ou associadas a ele.

    Cerca de 20% das pessoas no mundo sofrem com problemas relacionados ao sistema gastrointestinal. Esses problemas podem ser diversas doenças, confira as seis mais frequentes.

Dor de estômago: doenças mais frequentes

Gastrite

    A gastrite é caracterizada por uma inflamação nas paredes internas do estômago, causando queimação e dor de estômago forte. Além disso, ela pode causar náuseas, indigestão, inchaço abdominal e perda de apetite.

    Essa doença é provocada, na maioria das vezes, pela bactéria Helicobacter pylori – presente em alimentos, na água e que pode ser passada de pessoa para pessoa. Esse organismo se instala abaixo do muco estomacal e libera urease. Isso muda o pH da região.

    Um processo inflamatório é iniciado conforme essa bactéria se multiplica. Por consequência, a mucosa é corroída e, assim, não há proteção contra o ácido gástrico – natural ao estômago -, levando à sensação de ardência.

    Essa é a causa mais comum. Porém estresse, alimentação inadequada, consumo de bebidas alcoólicas e de remédios em excesso podem desencadear essa irritação.

    No caso do estresse, a liberação de cortisol e adrenalina em momentos de tensão aumenta a fabricação de ácido pelo estômago, afetando o muco e levando à gastrite.

Refluxo gastroesofágico

    O refluxo consiste no retorno repetitivo e involuntário do conteúdo do estômago para a região do esôfago, incluindo o ácido gástrico.

    Isso pode ocorrer porque a válvula que impede essa transferência de conteúdo para o esôfago está alterada. Além da possibilidade de os músculos da região estarem enfraquecidos.

    O esôfago não está preparado para receber uma substância tão ácida. Logo, isso causa queimação na boca do estômago, podendo essa azia se prolongar até a garganta. Outros sintomas são: tosse seca, dor torácica intensa e doenças pulmonares de repetição.

Intolerância alimentar

    A intolerância alimentar ocorre devido à falta de determinadas enzimas digestivas no organismo do indivíduo, prejudicando a digestão total e plena dos alimentos.

    Com isso, problemas digestivos aparecem: dor de estômago, diarreias, vômitos, cólicas, refluxo gástrico, inchaço abdominal, gases, constipação e sensação de estufamento. Além de enxaqueca, coceira, urticária, fadiga, tontura, entre outros.

    Algumas intolerâncias mais comuns são:

  •         Intolerância à lactose;
  •         Intolerância ao glúten;
  •         Intolerância à sacarose;
  •         Intolerância à frutose;
  •         Intolerância ao milho;
  •       Intolerância à levedura (sensibilidade a fermentos responsáveis por fazer pães, bolos, condimentos etc.).

Pancreatite

    A pancreatite ocorre quando as enzimas digestivas produzidas pelo pâncreas são liberadas dentro dele, destruindo-o progressivamente.

    Com isso, o indivíduo passa a sentir dores fortes no abdômen, febre, pressão baixa, enjoos e vômitos. Além de desnutrição (digestão fica prejudicada sem as enzimas, dificultando a absorção de nutrientes), aumento dos batimentos cardíacos e fezes amareladas ou brancas (com sinais de gordura).

    Há dois tipos de pancreatite: a aguda – repentina e relativamente curta – e crônica – cujos sintomas pioram com o passar do tempo, podendo-se ter danos permanentes e exigindo-se tratamento mais complexo.

Úlcera péptica

    A úlcera gástrica ou péptica é uma ferida que se abre no tecido que reveste o estômago, causada por vários fatores, dentre eles infecção pela bactéria Helicobacter pylori e por má alimentação.

    Alguns sintomas são náuseas, vômitos e dor de estômago forte (em pontadas), queimação na boca do estômago, sobretudo após se alimentar. Além de sangramentos na parede do estômago, ocasionando sangue nas fezes – identificável em exames de fezes ou visivelmente.

    Entretanto, é possível que sintomas não sejam apresentados por muito tempo, o que acaba agravando a situação.

    Geralmente, a úlcera não é uma doença muito grave – quando identificada em seus estágios iniciais – e deve ser tratada com antiácidos, os quais evitam que o suco gástrico aumente ainda mais a ferida.

Câncer no estômago

    O câncer de estômago é um tumor maligno, que pode surgir em qualquer local do estômago. Geralmente, esse tumor aparece como uma úlcera, causando dor de estômago, perda de apetite e azia constante.

    Porém, esse tipo de câncer, por vezes, não provoca nenhum sintoma. Isso prejudica o diagnóstico precoce da doença, permitindo que o tumor se desenvolva gradualmente e possa chegar a uma fase muito avançada, na qual as chances de cura são mais baixas.

    Daí a importância de fazer exames de rotina e, em caso de qualquer desconforto ou dor de estômago, consultar um gastroenterologista o quanto antes, evitando maiores complicações e verificando a presença de tumores.

O que é bom para dor de estômago: dicas

    O consumo de antiácidos, como o hidróxido de alumínio, ou protetor gástrico, como ranitidina ou pepsamar, são boas formas de como aliviar a dor de estômago rápido.

    No entanto, medicamentos para aliviar os sintomas não devem ser utilizados por mais de dois dias, pois há perigo de doenças mais graves – como as citadas neste artigo – serem mascaradas.

Remédios caseiros

  • Tomar goles de água fria para auxiliar na digestão, mas em pequenos volumes;
  • Ficar em repouso por alguns minutos, sem fazer esforço – deitar-se também é indicado;
  • Chá de alface;
  • Suco de couve manteiga batida com maçã, em jejum e coado;
  • Chá de aroeira;
  • Suco de batata crua espremida;
  • Chá de espinheira-santa.

        Além disso, alguns hábitos podem reduzir esses problemas, como não beber muito refrigerante, café e alimentos fritos e gordurosos.

Qual médico deve ser consultado em caso de dor de estômago forte?

    A gastroenterologia é a especialidade médica que diagnostica e trata os problemas associados ao sistema digestório. Esse diagnóstico é feito através da análise do histórico do paciente (uso medicamentos, hábitos alimentares, atividade física, tabagismo, doenças prévias), exames anteriores e exame físico.

    Os problemas gastrointestinais precisam ser tratados adequadamente e o mais rápido possível. Por isso, é essencial acompanhamento médico em casos de dor de estômago e fazer check-ups anuais da sua saúde!

Centro Médico CADEG

    É do Rio de Janeiro e está sentindo alguns dos sintomas citados neste artigo ou já está na hora de realizar um check-up de rotina? Não perca tempo, marque sua consulta no Centro Médico CADEG! Ele é um centro médico localizado dentro do CADEG-RJ, o Mercado Municipal do Rio de Janeiro. O endereço do centro é: Rua Cap. Félix, 1010 – Sobreloja 1 – Benfica, Rio de Janeiro – RJ.

    O Centro Médico CADEG oferece consultas e exames para mais de 30 especialidades (dentre elas gastroenterologia e clínica geral) com preços populares. Além disso, ele possui um Clube de Benefícios Médicos e, ao adquiri-lo, a pessoa tem de 20% a 70% de desconto em consultas, exames de imagem, exames laboratoriais e serviços de estética.

    Para assiná-lo, tem o passo a passo no site: assine o plano de benefícios pelo site ou telefone, preencha seus dados e assine o contrato, e, por fim, receba a sua carteirinha. Para mais informações sobre o clube de benefícios e as vantagens da plataforma, acesse o site do Centro Médico CADEG.

Gostou do conteúdo? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Deixe um comentário

Saiba mais sobre como cuidar de você e da sua família

Utilizamos cookies para oferecer a melhor experiência para você. Ao utilizar este site, você concorda com o uso destes cookies.